Novo método consegue diagnosticar doenças a partir de uma única lágrima

Novo método consegue diagnosticar doenças a partir de uma única lágrima
Compartilhe

Pesquisadores da Wenzhou Medical University, na China, desenvolveram um novo sistema para diagnosticar doenças a partir de uma única lágrima, buscando biomarcadores para algumas patologias no líquido. O sistema coleta e purifica pequenas partículas chamadas exossomas do líquido. Um estudo sobre o sistema foi reportado na revista científica ACS Nano nesta quarta-feira (20).

Os cientistas chamam o novo método de Incorporated Tear Exosomes Analysis via Rapid-Isolation System (iTEARS) — ou Análise Incorporada de Exossomas de Lágrimas via Sistema de Isolamento Rápido, em português. A análise de lágrimas não chega a ser uma completa novidade na comunidade científica, mas seu uso até agora era bem mais limitado.

Novo método poderá ser usado para detectar doenças como câncer e problemas neurodegenerativos no futuro (Imagem: Karolina Grabowska/Pexels)
Novo método poderá ser usado para detectar doenças como câncer e problemas neurodegenerativos no futuro (Imagem: Karolina Grabowska/Pexels)

Examinando o choro

Os exossomas são vesículas liberadas pelas células com 30 a 150 nanômetros de diâmetro, bem menores do que a maioria das bactérias. São bolhas minúsculas usadas para transportar ácidos nucleicos, proteínas, lipídios e metabólitos, pequenos carteiros biológicos. Seu conteúdo pode dizer muito sobre a saúde de uma pessoa: a presença de uma proteína específica, por exemplo, pode indicar que o indivíduo tem uma doença em particular.

Pesquisas anteriores já haviam conseguido isolar e analisar exossomas da urina e do plasma sanguíneo de pacientes, mas o foco agora estava nas lágrimas. Com o novo método, foi possível distinguir entre pessoas saudáveis e outras com vários tipos de síndrome do olho seco com base em 400 tipos diferentes de proteína presentes nos exossomas lacrimais. E o melhor: isso foi feito em apenas 5 minutos.

Outra doença distinguível pelo sistema iTEARS foi a retinopatia diabética — uma complicação da doença que afeta a parte anterior dos olhos —, com base na análise de material genético (microRNAs) dos exossomas. Os cientistas acreditam que o método tem o potencial para diagnosticar condições que não afetam apenas os olhos, como doenças neurodegenerativas e câncer.

Estudos anteriores, por exemplo, já notaram biomarcadores lacrimais para o câncer de mama. Analisar os exossomas pode ser um método mais sensível e preciso, além de prático, para detectar doenças como essa. No futuro, é possível que uma visita rápida ao médico e apenas uma lágrima já informe que estamos nos estágios iniciais de uma doença em questão de minutos.

Fonte: ACS NanoCancer Genomics Proteomics

CATEGORIAS