Promotora diz já haver itens no Plano Diretor de Natal que serão questionados na Justiça

Promotora diz já haver itens no Plano Diretor de Natal que serão questionados na Justiça
Compartilhe

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) realizou uma avaliação do conteúdo do resultado da proposta de alteração do Plano Diretor de Natal que foi votado durante a Conferência Final, realizada entre os dias 14 a 16 de junho passados. Em razão da grande alteração constatada, a instituição produziu um material educativo para possibilitar o entendimento, por parte da população, das principais mudanças detectadas, o qual será apresentado por etapas.

No material educativo, foram pontuadas algumas questões para ensejar a reflexão da população sobre o benefício ou não da mudança proposta para a cidade.

O trabalho faz parte do acompanhamento pelo MPRN do processo de revisão do Plano Diretor que está ocorrendo na cidade desde 2017.

Em contato com o G1RN, a promotora de Defesa do Meio Ambiente, Gilka da Mata, afirmou que já é possível detectar alguns pontos no projeto que podem ter a legalidade questionada. “Mas já é possível detectar alguns pontos no projeto que podem ter a legalidade questionada. “Mas nós não podemos acionar a justiça antes da aprovação do projeto na Câmara Municipal. O plano vigente passou pelo crivo do judiciário. À época, o Ministério Público acionou a justiça e vários itens foram alterados”, explicou.

Divisão

O material encontra-se dividido em blocos. Novos blocos contendo outros esclarecimentos serão apresentados oportunamente. Inicialmente, cada bloco contém 10 slides com o detalhamento da proposta comentada.

O bloco 1 trata do aumento da altura máxima dos prédios na cidade; e a verticalização da beira-mar da Praia da Redinha. No bloco 2, são apresentados a diminuição da proteção de Zonas de Proteção Ambiental; e o estímulo à canalização de lagoas e rios urbanos.

No bloco 3, é tratada a intensa verticalização no entorno do Parque das Dunas.

O bloco 4 é sobre a criação dos Eixos Estruturantes; a criação dos apartamentos/estúdios; e a alteração nas prescrições urbanísticas (regras de afastamento dos prédios e taxa de impermeabilização nos lotes). 

No bloco 5, trata sobre a alteração da área non aedificandi (não edificável) de Ponta Negra e sobre a necessidade de reconhecimento da importância paisagística da Vila de Ponta Negra. 

O bloco 6 traz informações e preocupações relativas à infraestrutura urbana sanitária – bacias de esgotamento sanitário. 

Os novos blocos a serem apresentados estão relacionados à acessibilidade (bloco 7) e às alterações propostas nas Áreas Especiais de Interesse Social (bloco 8).

Clique aqui e confira uma apresentação sobre o Plano Diretor.

Para saber mais, acesse: https://www.mprn.mp.br/portal/inicio/portal-campanhas-e-eventos/10856-o-ministerio-publico-e-a-revisao-do-plano-diretor-de-natal

CATEGORIAS