Empresários retiram ônibus da UFRN para não atender à decisão judicial sobre gratuidade

Empresários retiram ônibus da UFRN para não atender à decisão judicial sobre gratuidade
Compartilhe

A decisão judicial que determinou a volta da gratuidade do ônibus circular que atende à Universidade Federal do Rio Grande do Norte foi ignorada pelo Sindicato dos Empresários de Transporte Urbano de Natal (Seturn), que cancelou a linha. Quem denuncia é o Diretório Central do Estudantes José Silton Pinheiro, da UFRN.

Segundo o parecer do juiz Francisco Seráphico da Nóbrega Coutinho, da 6ª Vara da Fazenda Pública, a partir do dia 20 de dezembro a tarifa de R$ 3,20 deveria deixar de ser cobrada, atendendo pedido de ação judicial movida pela deputada federal Natália Bonavides (PT).

“O Seturn driblou a ordem judicial ao deixar de rodar o ônibus no Campus. Sendo assim, para não seguir a justiça, preferiu deixar os estudantes e trabalhadores da UFRN sem transporte.”, publicaram os estudantes. “Esse descumprimento judicial faz parte do histórico das empresas de ônibus de Natal: no início do ano, a justiça ordenou que 100% da frota de ônibus voltasse a circular no município, mas a decisão também foi ignorada. A luta pela gratuidade do circular continuará! Contra o Seturn, pelo Passe Livre já!”, continua post do DCE.

No início de dezembro, a Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) surpreendeu alunos da UFRN e anunciou o retorno da linha circular com cobrança de tarifa. Após protestos dos estudantes – que chegaram a ser agredidos no prédio da STTU, a secretaria chegou a afirmar que a cobrança seria temporária, mas não deu data determinada para o retorno da gratuidade.

A Seturn ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Fonte: Agência Saiba Mais RN

CATEGORIAS